quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Hércules e Jiló


Hoje tive um encontro agradabilíssimo com a profª Maria José, do laboratório de informática da educação especial, que está funcionando dentro da Escola Estadual Cônego Leitão. Ela dá suporte pedagógico, técnico e assitivo a alunos da educação especial e desenvolve o trabalho praticamente sozinha. Na ocasião pude entrar em contato com uma série de dicas de sites para compor um leque de informações que ajudem aos professores a preverem em seus projetos a inclusão digital destes alunos especiais.

Assim, descobri o software Hércules e o jiló.
Hércules é o nome de um menino, Jiló é seu cachorrinho. Eles não existem de verdade, mas se transformaram em personagens principais de um programa de computador educativo, criado na Faculdade de Educação (FE) da Universidade de Brasília (UnB). O programa oferece dez jogos que podem ser utilizados pelas crianças no próprio computador ou fora dele, desde que sejam impressos em papel e montados, como dominós.

Pensado para servir de apoio a intervenções pedagógicas no campo das ciências naturais, o sftware aborda conceitos relacionados com os seres que existem na Terra (diversidades, classificação, caracterísitcas, relações tróficas, ambientes naturais e construídos, etc).
É recomendado a crianças com necessidades educativas especiais, mais precisamente para aquelas apresentando déficit cognitivo moderado. Contudo, enquanto recurso de apoio didático, Hércules e jiló é mais que um simples software educativo.

Trata-se, na verdade, de um ambiente educativo multimediatizado, no qual a criança é situada em um contexto de aprendizagem delimitado por uma série de atividades lúdico-pedagógicas voltadas para sua estimulação no sentido amplo do termo e que não se restringem ao uso do computador como meio de comunicação pedagógica.

Enquanto ambiente educativo, o funcionamento de Hércules e Jiló baseia-se, portanto na associação de diferentes recursos, todos alinhados em torno de uma dinâmica de ensino voltada para propiciar aprendizagens significativas, contextualizadas e pertinentes.

É mais uma dica para trabalhar a informática educativa no âmbito da inclusão social.

Para baixar o software, clique aqui.






Nenhum comentário:

Postar um comentário