quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Hércules e Jiló


Hoje tive um encontro agradabilíssimo com a profª Maria José, do laboratório de informática da educação especial, que está funcionando dentro da Escola Estadual Cônego Leitão. Ela dá suporte pedagógico, técnico e assitivo a alunos da educação especial e desenvolve o trabalho praticamente sozinha. Na ocasião pude entrar em contato com uma série de dicas de sites para compor um leque de informações que ajudem aos professores a preverem em seus projetos a inclusão digital destes alunos especiais.

Assim, descobri o software Hércules e o jiló.
Hércules é o nome de um menino, Jiló é seu cachorrinho. Eles não existem de verdade, mas se transformaram em personagens principais de um programa de computador educativo, criado na Faculdade de Educação (FE) da Universidade de Brasília (UnB). O programa oferece dez jogos que podem ser utilizados pelas crianças no próprio computador ou fora dele, desde que sejam impressos em papel e montados, como dominós.

Pensado para servir de apoio a intervenções pedagógicas no campo das ciências naturais, o sftware aborda conceitos relacionados com os seres que existem na Terra (diversidades, classificação, caracterísitcas, relações tróficas, ambientes naturais e construídos, etc).
É recomendado a crianças com necessidades educativas especiais, mais precisamente para aquelas apresentando déficit cognitivo moderado. Contudo, enquanto recurso de apoio didático, Hércules e jiló é mais que um simples software educativo.

Trata-se, na verdade, de um ambiente educativo multimediatizado, no qual a criança é situada em um contexto de aprendizagem delimitado por uma série de atividades lúdico-pedagógicas voltadas para sua estimulação no sentido amplo do termo e que não se restringem ao uso do computador como meio de comunicação pedagógica.

Enquanto ambiente educativo, o funcionamento de Hércules e Jiló baseia-se, portanto na associação de diferentes recursos, todos alinhados em torno de uma dinâmica de ensino voltada para propiciar aprendizagens significativas, contextualizadas e pertinentes.

É mais uma dica para trabalhar a informática educativa no âmbito da inclusão social.

Para baixar o software, clique aqui.






terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Avaliações de 2008

O NTE iniciou suas atividades no úlitmo dia 02/02/2009, tendo realizado sua primeira reunião para avaliar suas ações do ano de 2008.

O nosso NTE possui uma equipe muito pequena no número de componentes, mas muito grande em disposição e vontade de fazer das adversidades um aliado para a melhoria da educação e do quadro da informática educativa em nosso Estado. apesar das inúmeras dificuldades que ainda enfrentamos, conseguimos fechar o ano de 2008 com 90% das ações pretendidas alcançadas.

Ainda existem salas de informática sem professores lotados, ainda existem salas de informática esperando rede logística, esperando vigia para poder instalar os equipamentos - senão serão roubados - ainda existe um número grande de municípios necessitando de formação continuada para poder utilizar as ferramentas tecnológicas de forma a transformar a maneira de ensinar e de aprender.

Em todos os setores educacionais de nosso Estado, percebemos a luta de cada um, desde a escola até a SEDUC - e porque não dizer, o MEC também - todos enfrentando suas batalhas, suas dificuldades, suas lutas para driblar as adversidades e continuar conquistando gota-a-gota os progressos que vimos sentindo aparecer nos vários campos da educação.

Estamos conquistando nossos espaços, escrevendo nossa história e buscando soluções em conjunto, em parceira e caminhar juntos é o que nos faz ter sucesso.

E para finalizar lembro o que Shakti Gawain dizia: "O ser, o ter e o fazer são como triângulo, no qual cada lado serve de apoio para os demais. Não há conflito entre eles."

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Feeds pra acompanhar tantos blogs e sites



Feeds vem do verbo em inglês "alimentar". Na internet, este sistema também é conhecido como "RSS Feeds" (RDF Site Summary ou Really Simple Syndication).

Trocando em miúdos – vamos ao que nos interessa – o RSS Feeds é uma tecnologia que permite aos internautas se inscreverem em sites que mudam ou atualizam seus conteúdos regularmente. Assim, o Feeds RSS recebe as atualizações destes sites e envia pra você poder acompanhar estes sites, blogs, etc, sem ter que entrar em cada um deles por vez, ganhando tempo neste mundo em que a informação é uma aliada e o tempo precioso.

Você precisa de um leitor de conteúdo RSS Feeds – o Google Reader, o bloglines (este em inglês), por exemplo - que recebem estas atualizações, e como você estará cadastrado em um deles, receberá as atualizações de todos os blogs e sites que você acompanha, desde que sejam adicionados ao leitor de conteúdos. Ou seja, o agregador de feeds (leitor de conteúdo) permite você "assinar" os vários blogs, como se fossem revistas ou jornais, e ver, num ponto central, apenas o que há de novo em cada um.

Por exemplo, se em 20 blogs, só 5 têm novos posts, podes ver só os novos posts desses 5. Sem teres de visitar os blogs, um a um. Com isto, além de não teres de lembrar dos vários blogs, passas, também, a ter a garantia de não perder nada em nenhum deles.

O site da Gordinha da Silva tem um tutorial muito bom e didático pra quem se interessar em se inscrever e utilizar num agregador de feeds do Google Reader e que demonstra passo-a-passo como fazer isso.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Inclusão dos PNEE's e a informática educativa


Uma de minhas angústias durante os cursos que ministro pelo NTE é a dificuldade que os educadores sentem em incluir os Portadores de Necessidades Especiais nos projetos de informática educativa.
Garimpando pela net, nos blogs da vida, nos sites e indicações de alguns amigos, achei no blog Futuro Professor o artigo escrito pelo Rafael, estudante do terceiro ano da graduação em Letras da Universidade de São Paulo - USP e membro da Associação dos Professores de Língua e Literatura (APLL/FFLCH/USP) desde 2006, sobre o Braille Virtual.

O sistema Braille é um código unversal de leitura tátil e de escrita usado por deficientes visuais. E uma das dificuldades dos deficientes visuais é que a maioria das pessoas à sua volta não conhecem este sistema.

Pensando em aproximar essas duas comunidades , que normalmente estão muito afastadas entre si, surge o Braille Virtual, um programa simples de aprendizado do método Braille dirigido àqueles que enxergam. O curso em Braille é gratuito e não oferece certificado. Neste caso, seu certificado sairá dos depoimentos de seus alunos, no dia-a-dia de sua prática pedagógica.

É uma excelente dica para quem não tem tempo de frequentar um curso presencial sobre o braille e uma ótima iniciativa na direção da inclusão dos deficientes visuais. Saiba mais sobre o programa acessando http://www.braillevirtual.fe.usp.br/pt/index.html

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Novo canal de comunicação com a CTAE

A Coordenação de Tecnologia Aplicada à Educação - CTAE - criou o blog da CTAE, mais um canal de comunicação importante para as escolas, educadores, pais, alunos e todos os envolvidos com o processo de inserção das tecnologias em educação.

Destaque para o Cantinho do Coordenador: espaço destinado a informar problemas de suporte técnico, infraestrutura das salas de informática, garantia de computadores e impressoras, problemas relacionados a furtos ou roubos de equipamentos, etc.

Além disso, o blog ainda disponibiliza a Biblioteca Paulo Freire, com textos do educador relacionados à inclusão digital.

Enfim, mais uma iniciativa excelente da Coordenação e que demonstra sua disposição em mudar o quadro da informática educativa em nosso Estado. Este NTE se orgulha de fazer parte de uma equipe que traduz em ações os seus discursos.

Em resposta às demandas por diretrizes nacionais para ações de inovação e uso de tecnologia nas escolas está sendo estabelecida uma nova ...